⇒ 6 chás Infalíveis que não podem faltar na sua casa

0
542
views

Você precisa ter esses chás.

A China é tida como o país de origem do chá. Segundo a lenda, o Imperador chinês Shen Nung, em 2.737 a.C. , fervia água para beber quando algumas folhas de uma árvore próxima caíram na panela.

Hoje, porém, outros países se destacam como produtores de chá de qualidade. Cada um possui uma característica específica.

Os melhores chás pretos do mundo são os indianos. Destaque para os produzidos na região de Assam, Darjeeling e Niligri. Já o Sri Lanka é conhecido por chás mais leves. Ultimamente as plantações de cafés do país têm dado espaço para a produção de chá.

A China, por sua vez, é um dos principais países produtores dos blends, ou seja, das misturas de chás.

Qualquer chá, entretanto, na Inglaterra será bebido com leite. Sim, a prática é quase obrigatória entre os ingleses, e muito pouco difundida no país.

 

Top 6

 

Espinheira Santa

A espinheira santa (Maytenus ilicifolia) pertence à família Celastraceae. É uma planta medicinal nativa da região sul do Brasil. A espinheira santa tem sido eficaz no combate às dores de estômago, gastrite, úlcera, azia e queimação, devido às propriedades medicinais que possui.

Nutrientes da espinheira santa

A espinheira santa possui boas quantidade de taninos, especialmente epigalocatequina, que têm poder cicatrizante de lesões ulcerosas no estômago por controlar a produção de ácido clorídrico no órgão. Os taninos ainda tem poder antisséptico por paralisar as fermentações gastrintestinais e analgésicos.

Os óleos essenciais, especialmente o fridenelol, também estão presentes na espinheira santa. Este óleo se destaca pelo efeito gastroprotetor. A espinheira santa também possui na composição os ácidos tônico e silícico, que possuem a ação antisséptica e cicatrizante.

Benefícios da espinheira santa

Boa contra as úlceras: A espinheira santa conta com taninos que têm poder cicatrizante de lesões ulcerosas no estômago por controlar a produção de ácido clorídrico no órgãos.

Combate a gastrite: A espinheira santa é boa em casos de gastrite. Este benefício ocorre devido aos taninos presentes na planta que estão relacionados à diminuição da secreção do ácido clorídrico pelas células do estômago e assim atenuam a gastrite.

Alivia os gases: A espinheira santa tem ação antisséptica, devido à expressiva quantidade de taninos, atuando rapidamente na paralisação das fermentações gastrintestinais e é carminativa, por isso ela é indicada em casos de gases.

Ação diurética: A espinheira santa tem ação levemente diurética devido à presença de triterpenos, composto bioativo, em sua composição.

Melhora o trânsito intestinal: A espinheira santa melhora o trânsito intestinal devido à mucilagem presente nesta planta.

Alivia dores no estômago: Por evitar a secreção de ácido gástrico, a espinheira santa ajuda a aliviar as dores no estômago.

Previne câncer de pele: Os triterpenos encontrados na espinheira santa possuem propriedades contra o câncer de pele. Vale ressaltar que, caso tenha um tumor, é importante conversar com seu médico antes de consumir a planta.

Como Fazer o chá

O chá de espinheira santa pode ser consumido após as refeições para ajudar na digestão. Para prepará-lo, ferva três colheres de sopa da erva com 500 ml de água, abafe, coe e tome.

Camomila

Benefícios e Propriedades do Chá de Camomila

Os principais benefícios do chá de Camomila incluem:

Diminui a hiperatividade;

Ajuda a acalma e a relaxar;

Alivia o estresse;

Auxilia no tratamento da ansiedade;

Ajuda no tratamento de problemas no estômago, a controlar a má digestão e a tratar as úlceras no estômago;

Ajuda a aliviar o enjoo;

Alivia cólicas menstruais;

Ajuda no tratamento de feridas e inflamações;

Acalma e remove as impurezas da pele.

O chá de Camomila é a forma mais comum de utilizar esta planta, podendo esta também ser associada ao mel, à Erva-doce ou à hortelã-pimenta, combinando assim diferentes benefícios.

Receitas com Chá de Camomila

Os chás podem ser preparados usando apenas flores secas de Camomila ou misturas feitas usando outros chás, de acordo com o gosto e com os benefícios pretendidos.

O chá de Camomila seca apresenta propriedades relaxantes e ligeiramente sedativas que ajudam a tratar a insônia, a relaxar e a tratar a ansiedade e o nervosismo. Além disso, este chá também pode ajudar a reduzir as cólicas e espasmos durante a menstruação.

Ingredientes:

  • 2 colheres de chá de flores secas de Camomila.
  • 1 xícara de água.

Modo de preparo:

Em 250 ml de água fervente adicionar as 2 colheres de chá de flores secas de camomila. Tapar, deixar repousar durante cerca de 10 minutos e coar antes de beber. Este chá deve ser bebido 3 vezes por dia, e caso seja necessário pode ser adoçado com uma colher de chá de mel.

Além disso, para aumentar o efeito relaxante e sedativo deste chá pode ser adicionada uma colher de chá de erva-dos-gatos seca e, de acordo, com indicação do pediatra este chá pode ser usado por bebês e crianças para reduzir a febre, a ansiedade e o nervosismo.

Chá Verde

O chá verde é uma bebida feita a partir da planta Camellia sinensis, assim como outros tipos de chá tais quais o chá preto, o chá branco e o oolong. O que difere todos esses tipos de chá é o processo de preparação de cada um, que garante distintas propriedades medicinais, de textura, aroma e sabor.

Carregado de antioxidantes, o chá verde proporciona benefícios para a função cerebral, perda de gordura, prevenção contra o câncer, entre outro benefícios. Confira:

Benefícios do chá verde

1. Melhora a saúde

Muitos dos compostos vegetais existentes nas folhas da Camellia sinensis ainda estão presentes no chá verde, conferindo significativa quantidade de polifenóis, substâncias que reduzem a inflamação e o risco de câncer.

Cerca de 30% do peso do chá verde é composto por polifenóis, incluindo grandes quantidades de uma catequina chamada EGCG, um antioxidante natural que ajuda a prevenir danos às células, entre outros benefícios.

Estas substâncias podem reduzir a formação de radicais livres no organismo, protegendo as células e moléculas de danos, envelhecimento precoce e todos os tipos de doenças.

EGCG (Epigalocatequina Gallate) é um dos compostos mais poderosos no chá verde. Ele tem sido estudado para tratar várias doenças e pode ser uma das principais razões pelas quais o chá verde tem propriedades medicinais tão poderosas.

O chá verde também possui minerais importantes para a saúde.

2. Melhora a função cerebral

Além de manter a pessoa acordada, o chá verde melhora a função cerebral. Seu principal ingrediente ativo é a cafeína, um estimulante. Entretanto, o chá verde não contém tanta cafeína quanto o café, o que confere uma melhor resposta do organismo, sem causar agitação e ansiedade.

O chá verde também contém L-teanina, um aminoácido que proporciona efeitos anti-ansiedade, aumenta os níveis de dopamina e a produção de ondas alfa no cérebro.

Estudos mostraram que a cafeína em combinação com a L-teanina possui efeitos sinérgicos, melhorando a função cerebral (confira aqui os estudos: 1, 2).

3. Queima gordura e melhora o desempenho físico

Se você buscar por uma lista de alimentos que ajudam a emagrecer certamente encontrará o chá verde entre os ingredientes da lista.

Dois estudos mostraram que o chá verde aumenta a queima de gordura e acelera o metabolismo de humanos.

Um outro estudo, realizado com dez homens, concluiu que o chá verde aumenta o gasto de energia em 4%.

Outro estudo mostrou que o chá verde aumenta a oxidação da gordura em 17%.

4. Diminui o risco de câncer

O câncer é causado pelo crescimento descontrolado de células. O dano oxidativo contribui para o desenvolvimento de câncer; os antioxidantes, por outro lado, exercem um efeito protetor contra o câncer. E o chá verde é uma excelente fonte de antioxidantes.

Um estudo mostrou que mulheres que consumiram chá verde apresentaram de 20% a 30% menos riscos de desenvolvimento de câncer de mama.

Outro estudo mostrou que homens que consumiram chá verde apresentaram 48% menos chance de desenvolver câncer de próstata, o câncer mais comum na população masculina.

Uma análise de 29 estudos concluiu que pessoas que consomem chá verde têm 42% menos chance de desenvolver câncer colorretal.

Mas, não coloque leite no seu chá, pois, de acordo com um estudo, ele reduz a quantidade de antioxidantes.

5. Diminui o risco da doença Alzheimer e de Parkinson

A doença de Alzheimer é a doença neurodegenerativa crônica mais comum em humanos e lidera as causas de demência. O mal de Parkinson vem em segundo lugar, e está relacionado à morte de neurônios produtores de dopamina no cérebro.

Alguns estudos mostraram que os compostos de catequina presentes no chá verde proporcionam efeitos protetores sobre os neurônios de animais, reduzindo potencialmente o risco de desenvolvimento de doença de Alzheimer e Parkinson.

6. Diminui o risco de infecções

As catequinas presentes no chá verde têm a propriedades de matar bactérias e inibir o crescimento de vírus como a da influenza, diminuindo o risco de infecções.

7. Melhora a saúde bucal

Estudos concluíram que o consumo de chá verde em conjunto de uma boa higiene bucal está associado à melhora da saúde bucal e ao menor risco de desenvolvimento de caries.

8. Diminui o risco de diabetes tipo 2

A diabetes tipo 2 está relacionada a elevadas taxas de açúcar no sangue causadas por resistência a insulina ou incapacidade do organismo produzir insulina.

Hibisco

Chá de hibisco é bom para quê?

O ponto é que o hibisco não precisa nem deve ser usado só por quem deseja perder peso. “O chá tem antioxidantes e é ótimo para melhorar a hidratação”, acredita Maria Fernanda.

E o sabor levemente avinagrado da infusão natural — não à toa a planta também é conhecida como vinagreira — é bem-vindo para a digestão.

É que essa característica faz o estômago liberar mais suco gástrico para quebrar os alimentos. “E isso evita aquela sensação de peso depois das refeições”, diz Vanderli.

Embora a ciência não assine embaixo dessa história de queima da gordura, outros benefícios para a saúde já são descortinados.

De acordo com a nutricionista Clarissa Fujiwara, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, a combinação de substâncias como as antocianinas e a quercetina dá um empurrão para a capacidade diurética, o que reduz a retenção de líquido e a pressão arterial.

Pessoas hipertensas, portanto, podem conversar com o médico para saber se vale a pena incluir umas xícaras no dia a dia.

Pequenos experimentos sedimentam o papel da flor como protetora cardiovascular. “Já se observou que indivíduos que tomam o chá frequentemente apresentam uma redução nos níveis de triglicérides”, exemplifica Vanderli.

As taxas de colesterol também tendem a ficar mais ajustadas quando a infusão se soma a outros hábitos saudáveis.

“Isso por causa dos flavonoides do chá, os mesmos presentes na uva e no vinho tinto”, explica o cardiologista Guilherme Sangirardi, da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista.

Os especialistas não apontam contraindicações, mas é preciso prestar atenção à quantidade: as vantagens viriam com a ingestão de no mínimo 500 mililitros e no máximo 1 litro do chá por dia — considerando uma colher de sopa do extrato.

Mais do que isso poderá causar quedas bruscas na pressão, tontura, cãibras e até desmaios, especialmente em grávidas.

O aumento de produção e escoamento de urina também pode interferir com o efeito de remédios.

Gengibre

O que é gengibre

Vegetal nativo da Ásia, o gengibre é uma raiz tuberosa usada tanto na culinária quanto na medicina.

A planta assume múltiplos benefícios terapêuticos: tem ação bactericida, é desintoxicante e ainda melhora o desempenho do sistema digestivo, respiratório e circulatório.

O gengibre também é um reconhecido alimento termogênico, que pode ser capaz de acelerar o metabolismo e favorecer a queima de gordura corporal.

A raiz é composta por vitamina B6, assim como pelos minerais potássio, magnésio e cobre, mas tais propriedades se tornam pouco relevantes levando-se em conta o consumo diário da planta. Como se trata de uma especiaria, bastam pequenas quantidades do gengibre no chá ou preparações culinárias para aromatizá-las. Note que a tabela de valores nutricionais abaixo considera 100g de gengibre, porém o uso numa receita pode não alcançar 2g.

Composição do gengibre para cada 100 g
Água (g) 78,88
Calorias (Kcal) 80
Proteínas (g) 1,82
Lipídios totais (g) 0,75
Carboidratos (g) 17,77
Fibras (g) 2
Cálcio (mg) 16
Ferro (mg) 0,6
Magnésio (mg) 43
Fósforo (mg) 34
Potássio (mg) 415
Sódio (mg) 13
Zinco (mg) 0,34
Cobre (mg) 0,22
Manganês (mg) 0,22
Selênio (mcg) 0,7
Vitamina C (mg) 5
Tiamina (mg) 0,025
Riboflavina (mg) 0,034
Niacina (mg) 0,75
Vitamina B6 (mg) 0,16

 

Para fazer o chá – A infusão de pedaços frescos de gengibre é utilizada no tratamento de gripes, tosses e até mesmo resfriados.

Além de ser um relaxante eficaz, hidrata o corpo e ajuda a eliminar as toxinas, podendo ajudar também no emagrecimento, devido à sua ação termogênica.

O preparo consiste em deixar raízes, cascas ou talos de molho por cerca de 30 minutos e, após esse período, acrescentar água e levar o gengibre ao fogo por mais de 30 minutos.

Canela

A canela possui uma série de benefícios. Ele ajuda a prevenir e combater o diabetes, controlando os níveis de açúcar no sangue e aumentando a sensibilidade à insulina.

Esta especiaria originária da Ásia, mais precisamente do Sri Lanka, também contribui para o emagrecimento por ter uma ação termogênica. Estudos apontam que a canela ajuda a diminuir o colesterol total e o ruim, LDL, e também os níveis de triglicérides.

Além disso, o alimento possui forte ação antioxidante e anti-inflamatória colaborando para a prevenção de doenças degenerativas como o Alzheimer e tumores e ajudando a combater resfriados.

O chá de canela é feito a partir da casca interna da árvore da espécie Cinnamomum. A canela tem sido usada como ingrediente ao longo da história, remontando ao antigo

Egito, quando costumava ser rara e valiosa, e era considerada como um presente digno para reis. Atualmente, a canela é mais acessível, está disponível em grande parte dos supermercados e é encontrada em várias receitas.

Existem dois tipos de canela. Um deles é a canela-do-ceilão, também conhecida como canela “verdadeira”. O outro tipo de canela é a canela-cássia, a variedade mais comumente encontrada, a que as pessoas geralmente chamam de “canela“.

A canela é extraída de lascas da árvore cinnamomum. Quando as lascas da cinnamomum secam, elas formam tiras que se enrolam, mais conhecidas como “canela em pau“. Mas as lascas também podem ser moídas para formar canela em pó.

Isabela Matos, Nutricionista e Especialista em Nutrição Clínica Funcional e Fitoterapia. Acredita que a alimentação ideal não é medida por calorias, e sim por nutrientes, comer bem pode e deve ser um prazer!
Compartilhe
Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta